quarta-feira, 25 de agosto de 2010





















ZERO HORA, 24 de Agosto de 2010


Milonga elétrica vence a MoendaUma milonga cheia de intervenções roqueiras venceu a 24ª edição da Moenda da Canção. Elétrica, defendida por Érlon Péricles e Pirisca Grecco, ficou em primeiro lugar no festival, realizado no último final de semana, em Santo Antônio da Patrulha.

A canção representa bem a liberdade de estilos que caracteriza a Moenda. Assinada por Péricles, investe na harmonia da milonga, mas a interpretação – tanto vocal como instrumental – tem intenção roqueira, especialmente nos floreios de guitarra. Péricles já tinha conquistado o vice-campeonato do festival, em 2008, com uma fusão semelhante, em Linha de Contrabando. Desta vez, dividiu os vocais com Pirisca (um campeão habitual de festivais) em versos como “Elétrica milonga na minha guitarra / Firmando a tradição e o que ela me fala”.

– Dedico este prêmio à banda Pública, que foi a maior inspiração para essa música – disse Péricles depois da premiação, lembrando a colaboração com o grupo porto-alegrense radicado em São Paulo, que inclusive participou da gravação de uma versão extraoficial de Elétrica.

Também inspirada no espírito milongueiro, Cabeça, de Vinicius e Tuni Brum, ficou com o segundo lugar. Outro estilo musical que teve destaque na final do festival, realizada na noite de domingo, foi o sertanejo de raiz. Violas do Sul do Brasil, de Mário Tressoldi e Chico Saga, venceu na votação do público. Um aspecto importante da Moenda – a abertura para a participação de artistas de outros Estados – também se refletiu na premiação. O grupo pernambucano Babi Jaques e Os Sicilianos, bastante ativo na cena independente recifense, chegou à final com o tema A Lágrima do Palhaço e acabou levando dois prêmios.

Os premiados na Moenda
1º lugar: Elétrica (Érlon Péricles)
2º lugar: Cabeça (Vinicius e Tuni Brum)
Melhor canção na votação do público: Violas do Sul do Brasil (Mário Tressoldi e Chico Saga)
Melhor visual de palco: Babi Jaques e Os Sicilianos (A Lágrima do Palhaço)
Melhor intérprete: Babi Jaques (A Lágrima do Palhaço)
Melhor instrumentista: Texo Cabral (Em Paz)
Melhor letra: Cabeça (Vinicius Brum)
Melhor arranjo: Escritos no Muro Flutuante (Jaime Vaz Brasil, João Bosco Ayala e Everson Maré – arranjo coletivo)



JORNAL NH - coluna ABC do Gaúcho( Tânia Goulart )

Na véspera de sua Boda de Prata, a Moenda consagra como Campeã uma milonga ousada, criativa e instigante: "Elétrica", de Érlon Péricles (Porto Alegre), com Érlon Péricles e Pirisca Grecco, foi anunciada a grande vencedora da 24.ª Moenda, no finalzinho da noite deste domingo, em Santo Antônio da Patrulha. Na foto, de Ivan de Paula, o grupo que defendeu a campeã, festejando a premiação.

Lhes digo que foi uma final, literalmente "elétrica", com muita expectativa mas... vou guardar os comentários para outro post, ainda nesta segunda-feira. O que já posso lhes dizer é que mais uma vez a Moenda deu uma lição de como lidar com a diversidade e hospitalidade. Gracias Carmem, Sandro, todos que nos auxiliaram nessa captação de informações para o ABC do Gaúcho!

Um comentário:

Cássia Baby disse...

Tche, Elétrica era minha favorita desde a triagem.
Valeu pelo bonito e caprichado trabalho, que tinha mesmo cara de Moenda.
Um abraço
Cássia Message - Santo Antônio da Patrulha